Inovação com simplicidade

O cenário externo ao Clube está longe de ser razoável, com o País em crise em todas as esferas. Por sua vez, o Vasco vive uma grave crise financeira que já dura mais de uma década, que, como não podia deixar de ser, se reflete no campo e deixa para a arquibancada apenas o “eu acredito”, o esforço heroico da torcida para evitar a terceira queda para a segunda divisão do futebol nacional, fato que, certamente, agravaria ainda mais a situação financeira.

Essa é a fotografia do momento atual. Mas temos que ter a perspectiva da história do Vasco da Gama, não feita por momentos fotográficos, estanques, mas sim por filmes, em perspectiva intertemporal. E, no filme dos últimos quinze anos, esses momentos de crise foram superados apenas ocasionalmente. No todo, trata-se de filme repleto de maus momentos, com apenas dois campeonatos nacionais, dois estaduais, uma Copa do Brasil. Isto é, o CRVG não tem tido um projeto consistente, um plano de gestão capaz de levá-lo a vitórias seguidas.

Há que se pensar em administração orientada pelos mais recentes preceitos da boa gestão. Para isso, temos que inovar em cenário externo de crise, com resultados muito mais desfavoráveis do que favoráveis, sem orçamento e com dívidas antigas e novas estratosféricas. É esse o nosso desafio.

Portanto, a palavra não pode ser outra senão inovar. Inovar para que o Vasco retorne aos tempos antigos, para que seja o herói renascido no cenário nacional, mediante a ótica da inovação como processo dinâmico, como num filme.

Começará com princípios administrativos modernos e simples, com o dever de casa com foco no futebol, priorizando a base e o profissional de forma interligada. Pensando grande, buscando fazer a maioria dos jogos no maior palco do mundo, afinal de contas quem quer voltar ao topo tem que jogar em grandes palcos. Mas sem esquecer o nosso solo sagrado de São Januário, alternativa para jogos de menor apelo como no Estadual e nas primeiras fases da Copa do Brasil. E para palco dos grandes momentos das nossas divisões de base que lutarão por títulos estaduais, nacionais e internacionais fazendo com que nossos atletas se acostumem com a grandeza do clube. Enquanto não tivermos nosso centro de treinamento, São Januário poderá muito bem cumprir esse papel, como está cumprindo nesse segundo semestre do ano de 2015.

Um calendário mais inteligente para o futebol brasileiro também tem que ser uma bandeira do Vasco. Enquanto os clubes europeus não abriram mão da exposição internacional, o futebol brasileiro desde o final da década de 1980, ou seja, há quase trinta anos, regrediu nesse aspecto. Grandes confrontos intercontinentais resumem-se a um jogo da final do mundial de clubes. Devemos recriar Vasco X Real Madrid, Vasco X Barcelona, entre outros.

No aspecto da gestão, sugiro, de início, criar um ambiente de administração integrada, ou seja, com todos os departamentos do Vasco pulsando juntos, discutindo juntos, solucionando problema juntos. O complexo de São Januário pode ser adaptado para isso, garantindo-se meios tecnológicos para a intercomunicação e informação, de tal modo a garantir a necessária transparência. As informações estariam acessíveis a todos, que, com a prática, aprimorariam mais e mais essa importante condição da administração moderna.

A inovação com transparência, obviamente, estaria baseada na tecnologia, mas não apenas nesta. Estaria baseada também na cultura, na prática do dia a dia, como o fizeram os nossos comerciantes portugueses que, com lápis e giz na orelha, deram início à mais bela odisseia do desporto mundial em 1898.

Posso falar bem mais de inovação. Ficará para um próximo artigo discorrer sobre possibilidades tecnológicas, processos, entre outros. Cabe, agora, ressaltar que o filme do passado e do presente indica que a inovação é o elemento chave para o filme do futuro, o filme que todos os vascaínos querem ver. Um filme verdadeiro, uma sucessão de alegrias por longos e longos períodos.

2 Comments On This Topic
  1. GASPAR TAVARES
    5 years ago

    Um texto que traduz uma realidade de forma clara, objetiva, nos fazendo pensar que para o nosso Vasco chegar ao Topo temos que permear bom senso, trabalho e dedicação , com ídeias inovadoras e muito trabalho de CAMPO ( BASE) e no CAMPO !!!
    Excelente pontuação deste tema.
    PARABÉNS . Gaspar

  2. Fabio Prado
    5 years ago

    Esse é o caminho. Temos que recuperar a grandeza do Vasco. Não podemos permitir que um clube com uma história vitoriosa e grandiosa como essa, se torne apenas um mero coadjuvante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *