TEXTOS PARA DISCUSSÃO

A importância da legitimidade. A menos de ilegalidades, o resultado de uma eleição é legítimo, por definição. Jair Bolsonaro venceu a eleição de 28/10 com mensagem simples: “mudar o que está aí”. Virou mito, não no sentido que a torcida do Vasco atribuiu ao zagueiro central Dedé, atualmente no Cruzeiro de Minas. Bolsonaro é o depositário da preferência pelo desconhecido, dado o conhecido, o jeito do PT administrar o País. Foi algo assim que ocorreu na eleição do Vasco em dezembro de 2017, com a vitória da Sempre Vasco. Ocorre que houve vícios no processo eleitoral.

Brasil e Vasco. O Brasil tem problemas estruturais graves: produtividade do trabalhador baixa, crise fiscal, ineficiência do setor público (126º entre 135 nações), 12,5 milhões de desempregados, pequenas e médias empresas inadimplentes, etc. Nos últimos quarenta anos, o País é um perdedor no cenário internacional, devido à mentalidade anticapitalista da intelligentsia brasileira. Com a eleição, há uma perspectiva de o País experimentar uma política econômica liberal. O Vasco é, também, um perdedor neste século XXI. Encontra-se em crise financeira há anos e a última eleição foi atestada, por perícia técnica, ter sido fraudulenta, e foi anulada por decisão judicial. Então, é o momento para ousar, como o País.

O que o liberal e o mito diriam aos conselheiros. O liberal, em economia, defende abertura econômica, maior competição, atração do capital externo. Por seu lado, o mito Dedé representa o vigor físico, a antecipação impensável e a cabeçada fulminante nas redes adversárias. Em duas palavras, a saúde e a eficiência. Assim, o que o liberal e o mito Dedé teriam a dizer aos Conselheiros do CRVG? Mais ou menos o que se segue, na linha da Proposta de Reforma do Estatuto do Pensar Vasco, protocolada na Secretaria do Clube.

  1. Que o Vasco precisa de gestão do tipo capitalista no Departamento de Futebol. E, como não pode se endividar, precisa fazer a abertura à competição de grupos que tenham dinheiro e capacidade gerencial, em busca de saúde financeira e de eficiência para o Clube;
  2. Que o Conselho Deliberativo precisa fazer, como o mito Dedé, uma antecipação magistral, mediante pequenas mudanças no Estatuto, de modo a proporcionar maior abertura e atração de capital humano e financeiro para o Clube;
  3. Que deliberem por um acordo (Autor da Ação e Vasco) para eleição em junho de 2019, em prol da História do Clube e da chance de tirar o Vasco da decadência.

Os conselheiros sabem que o Vasco está na beira do abismo. E o liberal e o mito dizem: o futuro do Vasco depende de vocês, Conselheiros do Vasco. Deliberem por uma chance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *