Um fato sem precedentes na história do futebol mundial! Em apenas 11 dias, um sentimento coletivo tomou conta da torcida do Vasco que, em busca do reerguimento do clube, fez com que o número de sócios pulasse de 33.447, em 24 de novembro, para 160 mil associados, até este momento. Além de saltar da oitava posição para assumir o primeiro lugar no ranking entre clubes brasileiros, o Vasco se tornou, também, o clube com mais sócios em toda a América, bem como passou a ocupar a sexta posição em todo o mundo, atrás apenas de Bayern Munich, Benfica, Barcelona, Manchester United e Schalke 04.

A história se repete. O Vasco existe e resiste graças a seus torcedores e não o contrário, como ocorre em outros clubes. Foi assim desde a inauguração de São Januário, em 1927 – o então maior da América – construído com a ajuda de vascaínos, em apenas 12 meses. Está sendo assim na construção do Centro de Treinamento, também assumido pela torcida. Agora, os adeptos pegam o clube nos braços para que a nau volte aos rumos de onde jamais deveria ter saído.

A motivação é o amor ao clube.

Há quase duas décadas o Vasco não apresenta estabilidade, em campo ou fora dele, por mais de duas temporadas seguidas. Ausência de títulos, saída prematura de joias, carência de ídolos que se mantenham no clube e diretorias contestadas, até impedidas de exercer as funções. Não haveria motivo para uma adesão em massa ao programa de Sócio Torcedor. Não haveria, para qualquer torcida, menos para a torcida vascaína.

A torcida escreve mais um capítulo da “História mais linda do futebol”, um case de sucesso mundial para ser estudado. Sobretudo, resgata a autoestima dos torcedores, joga holofote sobre o clube para investidores inéditos e revela aos mandatários que tudo passa, menos o maior ativo do Vasco: a sua imensa torcida. Revela também quem é o verdadeiro dono do Vasco. É ela, a torcida vascaína.

Este momento de grandeza, inédito no mundo, requer atitude para que não seja fugaz. Este momento, de verdadeira epifania vascaína, da revelação de quem é o Vasco, requer que dirigentes e conselheiros compreendam o seu sentido sublime. E tenham atitude e realizem as reformas estruturantes de que o Clube precisa. Reformas do Estatuto, modernização do Clube, e criação da Entidade Empresária para o Futebol.

A atitude da torcida do Vasco se traduz, à maneira das grandes glórias do passado, num brado: volta à elite do futebol brasileiro! Volta à elite dos grandes clubes brasileiros! À virada, Caravela Vascaína!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *